03 maio 2017

Dia 3 de Maio, 18h30, Buchholz - 77 palavras

Juntem-se a nós!

Vamos conversar sobre os desafios, as histórias, o projecto.

Desafios em 77 palavras,

um livro da Edicare,

numa livraria de que tanto gosto,
a Buchholz, junto ao Marquês de Pombal em Lisboa

Programa à Volta dos Livros

No programa «À volta dos livros», de Ana Daniela Soares, falámos dos
Desafios em 77 palavras
Publicado pela Edicare
Querem ouvir? Está AQUI


30 abril 2017

Margarida Belchior ― desafio nº 118

Vivo na Síria! Numa aldeia destruída, em ruínas, onde o medo e a sobrevivência, me impelem para o desconhecido, para a ilusão (?) de uma terra de Paz, com “cama, mesa e roupa lavada” para mim e

Natalina Marques ― desafio nº 118

Era uma jovem, alegre e feliz, vivia uma adolescência descansada.
Não conhecia ainda a tristeza das desilusões da vida, e

Chica ― desafio nº 118

Ainda que vazia
O tempo passando rápido demais.
Turbilhão de ideias a realizar.

Elisabeth Oliveira Janeiro ― desafio escritiva nº 19

A Arca do André
Corria um ano da graça do século vinte, numa vila do Porto, berço do Infante, o Navegador... No quarto de solteira da irmã do nosso herói, havia uma mala misteriosa, que ia guardando o bragal,

Fernanda Costa ― desafio RS nº 11

Bondade
Toda a bondade é clara, luminosa, profícua - sabe a algodão doce!
Em momentos de escuridão, ansiamos por um gesto de sublime bondade.

Desafio nº 118

Vamos lá brincar a associar ideias…
Que outra palavra (ou imagem) associam a cada uma destas:

MEDO        SUCESSO        DESILUSÃO       CONSTRUÇÃO     EMPATIA                            SEGURANÇA          AMIZADE             ANSIEDADE

Usando o que surgiu, adaptando sempre que necessário, que texto vos surge? (podem usar estas também, mas é opcional)
             

Eu fiz assim. Acabei por vir buscar algumas das originais:
Surgiram-me estas palavras: falhar, susto, tristeza, coragem, ligação forte e intuitiva, tranquilidade, partilha, medo.

Há ligações fortes e intuitivas, amizades. Em sorrisos, a partilha simples acontece. Num dia de coragem, tua, ainda não minha, puseste os pontos nos Is que eu deixava por escrever. O medo impedia-me de te desiludir e a tranquilidade empurrava-me. Até que o sentir assustado, cansado de me segurar, desistiu, e te contei o medo de falhar e a tristeza. Ouviste-me. Ralhaste com a ternura de um verdadeiro amigo. Pude então reconstruir o que afinal posso ser.
Margarida Fonseca Santos, 56 anos, Lisboa
Desafio nº 118 – associação de palavras

29 abril 2017

Sabrina Pereira ― desafio escritiva nº 5

Cruzar comboios
Eu pensei que fosse uma boa ideia ir visitar um sítio mais calmo, talvez nos campos, na Austrália.
Dois dias depois, perguntei a alguém de onde partia o comboio mais próximo. Mas quando cheguei

Manuela Branco ― desafio nº 76

Nasceu resplandecente este dia e a ideia de uma caminhada pareceu-me esplêndida.
Ir buscar a amiga e zarpar para arejar. Mas, a minha viatura adquiriu vida e qual égua bravia, dava

Jessica Guimarães ― desafio escritiva nº 2

Greve na cozinha
Vocês chamam-me uma colher, mas sou mais do que isso! Já pensaram o quanto eu tenho de suportar? As minhas tarefas incluem: mexer café (que de facto é muito quente), servir gelado (que me

Regina Gouveia ― desafio nº 89

Fim de tarde na savana. Uma manada de elefantes levanta uma nuvem de poeira ao pisar o chão.
Num outro tempo e em outro lugar, um lírio roxo por entre a desolação de um canteiro abandonado.

Maria do Céu Ferreira ― desafio RS nº 48

Espelho malvado
Espelho malvado,
Meu desgraçado,
Tens retratado
O quê de mim?

Ana Britto ― desafio escritiva nº 12

Escola
Nunca faço os meus deveres de casa, mas dessa vez decidi fazer e impressionar a professora. Era uma redação sem tema; então decidi fazer sobre um homem que largou a sua mulher e foi morar do outro

26 abril 2017

Rita Botelho ― desafio nº 113

Rita é uma mulher muito feliz.
Tem uma grande amiga chamada Marta.

Regina Gouveia ― desafio nº 114

Era uma linha ondulada, de menos infinito até mais infinito. Depois, começaram as restrições. Passou a reta. Continuava a viajar entre infinitos, mas o percurso ficou empobrecido.

Rita Afonso Botelho ― desafio nº 115

E o sol se põe, o jantar se faz, um repouso no sofá, uma criança a brincar. O sono ataca primeiramente a criança e a mãe aproveita esse sono. Durante esse sono, com sonhos e pesadelos,

Paula Tomé ― desafio escritiva nº 19

Entre o antes e o agora, ainda sou...
Sou amarela, grande. Tenho asa. "Chávena Almoçadeira"... nunca percebi... Almoços? Não… 

Lia Cunha ― desafio RS nº 34

Num lindo dia, enquanto passeava, vi uma menina graciosa a partilhar uma bolacha: vi o pacote de bolachas vazio, pois tirou a última e quis partilhá-la com um menino que a fitava. Depois disso, vi

25 abril 2017

Reutilizar livros

Lá em casa, já não havia espaço para mais livros. Estantes a abarrotar, nas mesas, nos quartos, no sofá. Por todo o lado, só livros. Livros de história, de histórias infantis, poesia, ensaios, romances. O avô sempre que os visitava, dizia: ― há livrarias com menos livros. A avó exclamava: ― credo! Nesta casa não se vê mais nada...
Até que um dia a mãe resolveu reutilizar os livros, fazer um armário para livros, com livros. Adoramos. Ficou giríssimo!
Alda Gonçalves, 49 anos, Porto

Desafio Escritiva nº 19 ― vidas passadas de objetos