25 abril 2017

Maria do Céu Ferreira ― desafio escritiva nº 19

A sina da boneca
Nasceu boneca vistosa,
Elegante e enfeitada,
Perfumada como rosa,
Sendo muito estimada.


Foi-me dada com ternura
E com ternura a tratava,
Não prevendo a tortura,
Duma maldosa criada.

Um dia fui à caminha…
Fiquei branca, alarmada…
Essa linda bonequinha
Estava toda mutilada!

Ouvi risos e eu chorava…
Coitada da bonequinha!
Sem cabelo e mutilada,
Por ser amada e minha?!...

Não devia ter tal sina,
Uma boneca tão bela…
Eu era ainda menina
E chorei… chorei por ela!...

Maria do Céu Ferreira, 61 anos, Amarante

Desafio Escritiva nº 19 ― vidas passadas de objetos

Sem comentários:

Enviar um comentário