20 abril 2017

Sandra Évora ― desafio RS nº 48

Fui trezentas, fui mil
camponesa, nobre senhora, artesão.
Fui mel, fui vil,
Pássaro, peixe e leão.

Que sei eu de mim?
Apenas que fui muitas caras,
formas diferentes de gentes,
alma renascida vez após vez nos intervalos do tempo.
Alma que resiste desmemoriada
permeável aos quereres divinos,
aos sabores do vento,
hoje mãe coragem, filha, filhos e casa e trabalho e nada,
que estranha no espelho a cara de um corpo,
útero de uma alma sem assento.
Sandra Évora, 40 anos, Sto. António dos Cavaleiros

Desafio RS nº 48 ― um rosto diferente no espelho

Sem comentários:

Enviar um comentário