12 junho 2017

Amélia Meireles ― desafio nº 118

A inquietação rendilhava-lhe a alma. A proximidade da noite tecia uma tristeza que quase acreditava premonitória. O cheiro a maresia sublinhava a certeza do sonho acalentado. Fugir era libertar-se do medo, do viver sem futuro. Um arrepio percorreu-lhe o corpo. Que olhar vazio era aquele, despido de afeto? Os gestos marcavam a ausência de afinidade para com o drama de todas aquelas pessoas. O mar bonançoso fazia crescer a esperança de reconstruir o futuro. Inundou-se de alegria.
Amélia Meireles, 64 anos, Ponta Delgada
MEDO (arrepio) SUCESSO (alegria) DESILUSÃO (tristeza) CONSTRUÇÃO (crescer) EMPATIA (afinidade)
SEGURANÇA (certeza) AMIZADE (afeto) ANSIEDADE (inquietação)

Desafio nº 118 – associação de palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário